Câmara Municipal de Taubaté

Você sabia?
Imprimir Email

Notícias

Cross faz o melhor possível na condição que tem, diz diretora de Saúde

por Imprensa

10/08/2017 15:36

Glauco Marini, Egle Sandrini, Oswaldo Kenzo, Jonas Polydoro, Digão, Lucimar Ponciano e Elisabethe Prado

Glauco Marini, Egle Sandrini, Oswaldo Kenzo, Jonas Polydoro, Digão, Lucimar Ponciano e Elisabethe Prado

Falta de vaga para internação, transferência de pacientes para cidades distantes, pouco dinheiro para a saúde. Essas dificuldades são como barreiras que impedem o pleno atendimento da população vale-paraibana e foram destacadas em audiência na Câmara de Taubaté como argumentos para a criação de uma unidade regional da Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde).

 

A audiência foi realizada no dia 9 a requerimento do vereador Rodrigo Luis Digão (PSDB) e contou com participação de Boanerge (PTB), Dentinho (PV), Gorete (DEM) e Vivi da Rádio (PSC), além de autoridades regionais e população.

 

“A Cross é um dos gargalos que vem atrapalhando a vida do munícipe. A saúde é uma situação complicadíssima na região, e temos que construir uma pauta positiva para encaminhar ao governador”, apelou o vereador Digão.

 

Mesmo com os questionamentos apresentados durante a audiência, a diretora regional de Saúde, Egle Luz Lopes Sandrini, elencou fatores para demonstrar que a Cross é a melhor alternativa.

 

“O sistema busca acesso (do paciente à internação) da melhor forma possível. Acho que a Cross faz o melhor possível na condição que tem, enquanto não tem condição para fazer melhor. Não é o ideal, mas, em saúde, acho que a gente não vai conseguir chegar ao ideal”, afirmou Egle.

 

Segundo ela, algumas unidades de referência não têm prestado atendimento – por falta de financiamento causada pelo congelamento da tabela do Ministério da Saúde –, e a Diretoria Regional trabalha com esses municípios para que devolvam a habilitação, de forma que outra cidade possa receber esse título.

 

A diretora acrescentou que o sistema distribuiu os pacientes em hospitais da região, e a urgência varia de acordo com a gravidade apontada pelo médico. “O sistema vai procurar leito, e vai ser onde tiver vaga. Entendo as dificuldades de transporte, de visitação, mas a gente está falando da possibilidade de salvar vidas.”

 

Críticas

 

Prefeito de Roseira, Jonas Polydoro disse que a ausência de representante da Cross na audiência demonstrou “desinteresse em melhorar o atendimento na região”. Presidente da Câmara de Jacareí, Lucimar Ponciano apontou que agora é o momento de se cobrar ações do Governo do Estado, uma vez que está sendo elaborado o PPA (Plano Plurianual).

 

Presidente do Comus (Conselho Municipal de Saúde) de Taubaté, Maria Elisabethe Prado avaliou que a Cross não atende como deveria. Secretário de Saúde de São José dos Campos, Oswaldo Kenzo Huruta defendeu investimentos preventivos, ou seja, na atenção básica.

 

Diretor de Saúde de Taubaté, Glauco Henrique Marini frisou que a difícil situação econômica do país e o desemprego levaram à migração de muitos usuários do sistema particular para o sistema público.

 

A audiência está disponível no canal da TV Câmara Taubaté no Youtube.



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página