Câmara Municipal de Taubaté

Você sabia?
Imprimir Email

Notícias

CONHEÇA A CÂMARA

por Imprensa

12/06/2015 17:50

 

Concepção de José Ernani Pereira relacionado à Vila de Taubaté, destacando a Matriz, à direita a Casa da Câmara

Concepção de José Ernani Pereira relacionada à Vila de Taubaté, destacando a Matriz de São Francisco das Chagas e à direita a Casa da Câmara (Mistau)

 

Vila de Taubaté

 

A história da Câmara Municipal teve início a menos de um mês após a elevação de Taubaté à categoria de vila, em 5 de dezembro de 1645. 

 

Os “oficiais da Câmara”, assim chamados por desempenharem um ofício, começaram a trabalhar em janeiro de 1646, sob a presidência de Ascenço Dias de Macedo. Até 1779, porém, não há documentação disponível em termos de atas, documento em que se relatavam as reuniões.

 

O historiador Félix Guisard Filho, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, compilou as atas existentes, compreendendo os períodos de 1780 a 1798 e de 1842 a 1890, e as publicou em vários volumes intitulados “Atas da Câmara”, pela Empresa Editorial Universal. 

 

Em 20 de janeiro de 1890, o Decreto Estadual nº 13 extinguiu as câmaras municipais, criando, em substituição, os conselhos de intendência municipal. Seus membros, os intendentes, eram nomeados pelo Governo do Estado.

Felix Guisard Filho

Felix Guisard Filho (Mistau)

 

 

 João Afonso Vieira

João Afonso Vieira (Mistau)

Os conselhos eram compostos por três a nove membros e tinham um presidente e um vice-presidente eleitos entre os intendentes.

 

Em Taubaté, a primeira reunião dos intendentes foi realizada no dia 23 de janeiro de 1890, sob a presidência de João Affonso Vieira, tendo como membros: Antonio Claudino de Abreu, Francisco Rodrigues Guimarães, Francisco Xavier de Souza e Castro, José Benedito Marcondes de Mattos, João Tindall e José Antonio Carneiro de Souza. 

 

O historiador Félix Guisard Filho, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, compilou as atas existentes, compreendendo os períodos de 1780 a 1798 e de 1842 a 1890, e as publicou em vários volumes intitulados “Atas da Câmara”, pela Empresa Editorial Universal. 

 

Foram intendentes em Taubaté: José Ramos Ortiz, Antonio Nascimento e Castro (interino, 1898-1901), José Francisco de Moura (1902), José Melhado Filho (interino, 1903), Affonso Moreira da Silva (1904-1905), Bento Enéas de Almeida e Augusto César Monteiro (interino, 1906-1907).

 

 

Redemocratização

 

A reabertura das câmaras ocorreu após a promulgação da Constituição Federal de 1946. A Carta Magna previa a realização de eleições direitas em 120 dias após sua promulgação. No caso das câmaras municipais de São Paulo, o pleito ocorreu em 9 de novembro de 1947. 

 

Oswaldo Costa

Oswaldo Costa (Mistau)

Assim, a denominação Câmara Municipal voltou a ser utilizada em 1948, quando teve início a 1ª Legislatura, compreendendo o período de 1948 a 1951. A primeira sessão daquela legislatura foi realizada no edifício do Colégio Estadual, em 5 de janeiro de 1948, sob a presidência de José Olegário de Barros.

 

O prefeito Oswaldo Costa nomeou José Octávio Franco Bittencourt para exercer o cargo de diretor da Câmara, por meio do Decreto nº 146, de 31 de dezembro de 1947, e Aguinaldo Teixeira Pinto para prestar serviço junto à Secretaria, conforme a Portaria nº 227. 

 

Até a 20ª sessão (8 de junho de 1948), as atas eram manuscritas; a partir daí começaram a ser datilografadas. Hoje, tais documentos se constituem em elementos valiosos, verdadeiros guardiões da história de Taubaté.

 

Quando o Regime Militar entrou em vigor, no dia 31 de março de 1964, as câmaras voltaram a perder poderes, mas não foram fechadas.

 

 

Prédios do Legislativo

 

O primeiro prédio destinado à Câmara foi construído a partir de 1640 por Jacques Félix, na Praça da Matriz, onde hoje está o Banco do Brasil. No livro “São Francisco das Chagas”, José Bernardo Ortiz constata que o prédio da Câmara e da Cadeia ficava na rua Dr. Pedro Costa.

 

Há registros que indicam que a Câmara permaneceu um século no terreno onde hoje se ergue a Escola Lopes Chaves,  permanecendo neste local até 1896, quando o município cedeu a área para o Estado.

 

Antigo Largo da Matriz, Praça Dom Epaminondas, no fim do século XIX. Ao fundo a residência da família Castilho. Foi sede da  Prefeitura e Câmara

Antigo Largo da Matriz, Praça Dom Epaminondas, no fim do século XIX. Ao fundo a residência da família Castilho. Foi sede da Prefeitura e Câmara (Mistau)

A foto de 1962 indica o local em que há dois séculos, teria funcionado a Cadeia e a Casa do Conselho de Taubaté - Câmara Municipal

Local em que há dois séculos teria funcionado a Cadeia e a Casa do Conselho de Taubaté (Mistau)

Antigo casarão de dona Leopoldina Marcondes Varella, na esquina das ruas Bispo Rodovalho com Visconde do Rio Branco. Década de 1930

Antigo casarão de dona Leopoldina Marcondes Varella, na esquina das ruas Bispo Rodovalho com Visconde do Rio Branco (Mistau)

 

Sede no Jardim Russi

Sede no Jardim Russi

Depois da demolição do imóvel em 1896, a Casa Legislativa passou para um casarão localizado na esquina das ruas Visconde do Rio Branco e Bispo Rodovalho,em frente à Capela do Pilar. Neste local funcionavam a Câmara, a Prefeitura, a Delegacia de Polícia e o Fórum. Esta construção foi demolida em 1940. Em 1943, o terreno foi cedido para a Caixa Econômica Estadual, atual Banco do Brasil.

 

Na década de 1940, o Poder Legislativo esteve junto com a Prefeitura no local onde hoje está a rádio Difusora, na rua Quinze de Novembro. Já na década de 1950, a Câmara voltou para sua primeira sede na rua Dr. Pedro Costa. Com a demolição do imóvel e construção do Banco do Brasil no local, houve a mudança, nos anos 1960, para a sede na rua Marquês do Herval. 


No mandato do prefeito Milton de Alvarenga Peixoto (1973-1976) a Prefeitura construiu um prédio no número 37 da rua Itanhaém, no Jardim Russi, onde pretendia instalar a sede do Poder Legislativo, mas a obra não foi concluída. No governo seguinte (Waldomiro Carvalho, 1977-1982), o prédio foi doado ao Instituto de Previdência do Município de Taubaté como parte de pagamento de dívida previdenciária, depois adquirido para contribuir com as finanças do órgão. 

 

O prefeito José Bernardo Ortiz (1983-1988) reformou o prédio (a laje do plenário, por exemplo, teve que ser derrubada), e no dia 18 de dezembro de 1988 lá foi instalada a sede provisória da Câmara.

 

De volta ao cargo de prefeito no terceiro mandato (2001-2004), Bernardo Ortiz construiu o prédio nº 208 da avenida Professor Walter Thaumaturgo (Avenida do Povo), cujas chaves foram entregues ao então 1º vice-presidente da Câmara, vereador Luiz Gonzaga Soares “Luizinho da Farmácia”.

 

A atual sede do Poder Legislativo foi inaugurada no dia 5 de dezembro de 2005 sob a presidência do então vereador Orestes Vanone.

 

Prédio Avenida Povo

Sede na Avenida Povo

 

 

Casa Pedro Costa

 

Pedro Costa

Pedro Costa (Mistau)

A Resolução nº 1, de 4 de março de 1952, denominou “Casa Dr. Pedro Costa” a sede da Câmara Municipal. Pedro Luiz de Oliveira Costa, de tradicional família, nasceu em Taubaté em 29 de junho de 1877 e faleceu no dia 21 de outubro de 1934. Filho de Crescêncio José de Oliveira Costa e de Gertrudes Jordão de Oliveira Costa, estudou no Colégio São João Evangelista e bacharelou-se em Direito na Universidade de São Paulo, em 1896. Foi prefeito, deputado estadual e deputado federal.

 

Por meio da Resolução nº 5, de 14 de dezembro de 1976, a Câmara de Taubaté instituiu comemoração solene ao centenário de nascimento de Pedro Costa, que iria ocorrer a 29 de junho de 1977. O autor do projeto foi o vereador Rubens Monteiro de Andrade, na 7ª Legislatura.O escritor Antonio Mello Junior, em seu livro “Taubaté e seus monumentos”, escreveu sobre Pedro Costa: “Com raro brilho exerceu a advocacia na terra natal e, seguindo tradição de família, ingressou na política, tornando-se em pouco tempo num dos mais acatados entre os seus correligionários”.

 

 

Na data prevista, já na 8ª Legislatura, realizou-se a sessão. Foi introduzido nas dependências da Câmara um busto e uma placa, com os seguintes dizeres: “Pedro Luiz de Oliveira Costa - Político e Conselheiro - Semeou o bem e a justiça”.

 

Presidiu a sessão o vereador Mário Celso de Almeida, presidente da Câmara. “Externo minha imensa satisfação em presidir esta Casa, cujo patrono, Dr. Pedro Costa, soube honrá-la e dignificá-la, assim como honrou e dignificou esta terra que hoje lhe presta justa e merecida homenagem".

 

Plenário Jaurés Guisard

 

Jaures Guisard

Jaures Guisard (Mistau)

Jaurés Guisard nasceu em Taubaté no dia 4 de fevereiro de 1905, filho de Eugênio Guisard e de Zilia de Alcântara Nogueira Barbosa. Faleceu em 26 de junho de 1978. 

 

Foi vereador em Taubaté na 1ª Legislatura (1948 a 1951) e 4ª Legislatura (1960 a 1963) e prefeito por três vezes, sendo a primeira vez nomeado pelo Governo do Estado. Criou a era do asfalto na cidade.

 

Em 1978, o vereador Djalma José de Castro apresentou projeto de resolução, dispondo sobre a denominação de Plenário Jaurés Guisard o local onde os vereadores realizam as sessões. 

 

Ao apresentar o projeto, Djalma Castro justificou que Jaurés Guisard foi vereador em duas ocasiões, deixando “seu nome gravado indelevelmente como autêntico municipalista, defensor intransigente das justas causas em favor dos munícipes taubateanos”.

 

 

Legislaturas

 

1ª LEGISLATURA (1948 a 1951)

23 vereadores

 

Abrahão José Moreira, Arthur Boéris Audrá, Benedicto Cursino dos Santos, Benedito Rodrigues dos Santos, Eurico Pereira Pena, Félix Guisard Filho, Genól Candelária de Morais, Hypólito José Ribeiro, Jaurés Guisard, Jayme de Castro, Joaquim de Morais Filho, José Bonifácio Moreira Filho, José Geraldo de Oliveira Costa, José Olegário de Barros, Juventino Tavares, Lycurgo Barbosa Querido, Lino Rodrigues, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Nelson Alberto Meirelles, Newton Câmara Leal Barros, Octacílio Carvalho de Paula, Omar de Abreu Rangel, Sebastião de Abreu.

 

 

2ª LEGISLATURA (1.1.1952 a 31.12.1955)

19 vereadores

 

Benedicto Cursino dos Santos, Daniel Danelli, Euclydes Monteiro da Silva, Irineu Cardoso Malta, Joaquim de Morais Filho, José Alves, José Estácio de Moura Guimarães, José Geraldo de Oliveira Costa, José Luiz de Almeida Soares, José Olegário de Barros, Luarlindo Carelli Barreto, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Moacyr Hoelz, Nelson Alberto Meirelles, Newton Câmara Leal Barros, Octacílio Carvalho de Paula, Omar de Abreu Rangel, Ulysses Pereira Bueno, Waldomiro Berbare.

 

Pela extinção do mandato do vereador Irineu Cardoso Malta, assumiu a vereança Emílio de Freitas Miranda (de 14.10.1952 a 31.12.1955). Pela renúncia do vereador Moacyr Hoelz, assumiu Roberto da Mata Ribeiro (23.9.1953 a 31.12.1955).

 

Suplente Convocado: Roberto da Mata Ribeiro (5.2.1952 a 22.9.1953).

 

 

3ª LEGISLATURA (1.1.1956 a 31.12.1959)

19 vereadores

 

Augusto José Marzagão, Benedito Elias de Souza “Lolito”, Edvaldo Cabral de Vasconcellos, Fábio Bueno Patrício, Fábio Moura, Hélio Zamith, João Dias Monteiro, José Geraldo de Oliveira Costa, José Luiz de Almeida Soares, José Marcondes de Moura, Manoel Cembranelli Filho, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Newton Câmara Leal Barros, Nelson Freire Campello, Oswaldo Barbosa Guisard, René Pio Ortiz, Renê de Toledo, Ulysses Pereira Bueno, Ubatumirim Lotufo Garcez “Birica”.

 

Pelo falecimento do vereador Newton Câmara Leal Barros e pela renúncia do vereador Renê de Toledo, assumiram a vereança, respectivamente, Irineu Cardoso Malta (24.2.1959 a 31.12.1959) e Moacyr Freire (17.12.1957 a 31.12.1959).

 

Suplente convocada: Maria Aparecida Marcondes de Castro.

 

 

4ª LEGISLATURA (01-01-60 a 31-12-63)

19 vereadores

 

Ameletto Marino, Antônio Jorge, Benedicto Cursino dos Santos, Benedito Elias de Souza, Benedito da Silveira Morais, Ézio Pacini, Edvaldo Cabral de Vasconcellos, Guido José Gomes Miné, Hélio Zamith, Irineu Cardoso Malta, Jaurés Guisard, João Guilherme de Oliveira Costa, José Roberto Bueno de Matos, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Moacyr Freire, Thiers de Carvalho, Ubatumirim Lotufo Garcez, Ulysses Pereira Bueno, Wilson Alves de Carvalho.

 

Suplentes convocados: Waldomiro Berbare, Diaulas de Almeida Castro, Evaristo Ferreira Costa, João Ribeiro dos Santos, Humberto Puccinelli Filho, Alberto Ronconi, Evandro Campos, Euclides Monteiro da Silva.

 

 

5ª LEGISLATURA (01-01-64 a 31-12-68)

19 vereadores

 

Alberto Gomes, Ameletto Marino, Antônio José Elias Andraus, Benedito da Silveira Morais, Edson Cembranelli, Edvaldo Cabral de Vasconcelos, Evandro Campos, Ézio Pacini, Hélio Zamith, Humberto Puccinelli Filho, Judith Mazella Moura, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Pedro Grandchamps, Renato Féres, Theodoro Correa Cintra, Thiers de Carvalho, Waldomiro Berbare, Waldomiro Carvalho, Wilson Alves de Carvalho.

 

Pela renúncia dos vereadores Antônio José Elias Andraus, Humberto Puccinelli Filho, Wilson Alves de Carvalho e Evandro Campos, assumiram a vereança, respectivamente, Omar de Abreu Rangel (11.2.1966 a 31.12.1968), Waldemar Bonelli (14.7.1967 a 31.12.1968), Moacyr Freire (21.12.1967 a 31.12.1968) e João Dias Monteiro (12.12.1968 a 31.12.1968).

 

 

6ª LEGISLATURA (1.2.1969 a 31.1.1973)

15 vereadores

 

Ameletto Marino, Ary Kara José, Benedito da Silveira Morais, Daniel Pereira da Silva, Edvaldo Cabral de Vasconcellos, Joaquim França, José Nadir Daniel, Judith Mazella Moura, Luiz Winther de Araújo, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Pedro Grandchamps, Renato Féres, Vicente Fonseca Lima, Waldemar Bonelli, Waldomiro Carvalho.

 

Pela renúncia do vereador José Nadir Daniel (em 28.9.1972), assumiu Hélio Zamith (de 5.10.1972 a 31.1.1973).

 

Suplentes convocados: Alaor Fernandes Lima, Antônio Roberto Paolicchi, Francisco José Vieira Negrini.

 

 

7ª LEGISLATURA (1.2.1973 a 31.1.1977)

15 vereadores

 

Antônio Roberto Paolicchi, Daniel Pereira da Silva, Edvaldo Cabral de Vasconcellos, José Luiz da Silva, Luiz Winther de Araújo, Moacyr de Alvarenga Peixoto, Moacyr Freire, Pedro Grandchamps, Renato Féres, Roque Cunha, Rubens Monteiro de Andrade, Sebastião Rufino Freire, Vicente Fonseca Lima, Waldemar Bonelli, Wilson Fim.

 

Pela renúncia do vereador Daniel Pereira da Silva em 7.8.1975, assumiu Ameletto Marino (14.8.1975 a 31.1.1977); pelo falecimento do vereador Moacyr de Alvarenga Peixoto em 21.6.1973, assumiu Décio Silva Azevedo (28.6.1973 a 31.1.1977).

 

Suplentes convocados: Carlos Roberto Marques, Ameletto Marino, Alfredo Barbieri, Joaquim França, Alaor Fernandes Lima.

 

 

8ª LEGISLATURA (1.2.1977 a 31.1.1983)

15 vereadores

Os vereadores foram eleitos para o período 1977-1980, mas o mandato foi prorrogado em dois anos, até 31.1.1983.

 

Adão Nery da Silva, Adriano dos Santos, Alaor Fernandes Lima, Antônio Carlos Ribas Branco, Antônio Carlos Ribeiro, Djalma José de Castro, Djalma Ribeiro Couto, Edvaldo Cabral de Vasconcellos, José Roberto Monteiro, Juarez Toti, Luiz Winther de Araújo, Mário Celso de Almeida, Renato Féres, Vicente Fonseca Lima, Wilson Fim.

 

Suplentes convocados: Francisco José Vieira Negrini e Joaquim França.

 

 

9ª LEGISLATURA (1.2.1983 a 31.12.1988)

17 vereadores

 

Adão Nery da Silva, Arnaldo Ferreira dos Santos, Benedito Corrêa Leite, Brasil Natalino, Celso José de Brum, Cláudio Simões de Araújo, Francisco José Vieira Negrini, Guido de Moura Salles, José da Farmácia Gonçalves da Silva, José Roberto Muniz Ramos, Luarlindo Carelli Barreto, Luiz Winther de Araújo, Marcelo Fuad Khuriyeh, Mário Celso de Almeida, Miguel Lopes Figueira, Rubens Monteiro de Andrade, Wilson Fim.

 

Suplente convocado: Antonio Orival Celeste.

 

 

10ª LEGISLATURA (1.1.1989 a 31.12.1992)

21 vereadores

 

Abimael Araújo de Jesus, Albany Terezinha Rocha Fonseca, Armanda Dina de Oliveira Araújo, Djalma José de Castro, Eduardo Carlos Pinto, Getúlio Mendes de Almeida, Guido de Moura Salles, Humberto Puccinelli Filho, Iardilei Viana de Aquino, José Bento Alvarenga Filho, José da Farmácia Gonçalves da Silva, José Tadeu Ramos, Judith Mazella Moura, Luiz Winther de Araújo Junior, Miguel Lopes Figueira, Marcelo Fuad Khuriyeh, Oscar Tetsuo Urushibata, Roberto Pereira Peixoto, Roderico Prata Rocha, Salvador Augusto de Jesus, Vitor Rodrigues de Souza.

 

 

11ª LEGISLATURA (1.1.1993 a 31.12.1996)

21 vereadores

 

Ana Lourdes Candelária de Mattos "Duda", Benedito Lázaro, Cícero Alves Morgado, Custódio de Sales Garcez, Djalma José de Castro, Getúlio Mendes de Almeida, Henrique Antonio Paiva Nunes, Humberto Puccinelli Filho, José Antonio de Angelis - "Bilili", José Ary Padovani Squarcina, José da Farmácia Gonçalves da Silva, José Tadeu Ramos, Luiz Cândido da Silva, Maria Mércia Agostinho Marcondes, Marilda Prado Yamamoto, Orestes Francisco Vanone Filho, Oscar Tetsuo Urushibata, Roberto Pereira Peixoto, Roderico Prata Rocha, Wanderley Soares dos Santos, Wilson Vieira de Souza.

 

 

12ª LEGISLATURA (1.1.1997 a 31.12.2000)

21 vereadores

 

Arlindo Antunes, Benedito Lázaro, Célia Aparecida Marques da Silva, Cláudio do Couto, Djalma José de Castro, Gilberto Luiz dos Santos “Barrabás”, Itamar de Jesus Alves Monteiro, Jair Gomes de Toledo, Joaquim Marcelino Joffre Neto, José Ary Padovani Squarcina, José Benedito Vaz, José Cezário Neto, José Francisco Saad, José Tadeu Ramos, Mário Monteiro dos Santos, Márcio José Palhares, Orestes Francisco Vanone Filho, Orlando Benedito de Lima, Rodson Lima Silva, Salvador Augusto de Jesus, Wilson Vieira de Souza.

 

Valdir Ferreira não chegou a assumir, vindo a falecer em 1.11.1996. Em seu lugar assumiu o 1º suplente do PSDC, Márcio José Palhares.

 

 

13ª LEGISLATURA (1.1.2001 a 31.12.2004)

21 vereadores

 

Arlindo Antunes, Célia Aparecida Marques da Silva, Jair Gomes de Toledo, Joaquim Marcelino Joffre Neto, Jorge Luiz Leal, José de Assis Galhardo, José Francisco Saad, José Iânace de Castro Junior, José Tadeu Ramos, José Venâncio, Maria Gorete Santos de Toledo, Marilda Prado Yamamoto, Mário Monteiro dos Santos, Noilton Silvestre Ramos, Orestes Francisco Vanone Filho, Orlando Benedito de Lima, Paulo Elevi Katz, Roderico Prata Rocha, Rodson Lima Silva, Valdomiro Arcanjo da Silva, Wilson Vieira de Souza.

 

Pela morte de Mário Monteiro, ocorrida no dia 24.11.2001, assumiu a vaga Luiz Gonzaga Soares “Luizinho da Farmácia”.

 

 

14ª LEGISLATURA (1.1.2005 a 31.12.2008)

14 vereadores

 

Antônio Angelo Mariano Filippini, Ary Kara José Filho, Carlos Roberto Lopes de Alvarenga Peixoto, Henrique Antonio de Paiva Nunes, Jeferson Campos, José Francisco Saad, Luiz Gonzaga Soares, Maria das Graças Gonçalves de Oliveira, Maria Gorete Santos de Toledo, Maria Tereza Paolicchi, Orestes Francisco Vanone Filho, Pollyana Fátima Gama Winther de Araújo, Rodson Lima Silva, Valdomiro Arcanjo da Silva.

 

Suplentes convocados: Jair Gomes de Toledo (PTC), João Virgílio (PP), Fátima Andrade (PT), Wilson Vieira de Souza (PSDB) e Helenice Ferrari (DEM).

 

 

15ª LEGISLATURA (1.1.2009 a 31.12.2012)

14 vereadores

 

Alexandre Villela Silva, Antonio Mário Ortiz Mattos, Ary Kara José Filho, Carlos Roberto Lopes de Alvarenga Peixoto, Henrique Antonio Paiva Nunes, Jeferson Campos, José Francisco Saad, Luiz Gonzaga Soares “Luizinho da Farmácia”, Maria das Graças Gonçalves Oliveira, Maria Teresa Paolicchi, Orestes Francisco Vanone Filho, Pollyana Fátima Gama Santos, Rodrigo Luis Silva “Digão”e Rodson Lima Silva.

 

Rodson Lima Silva teve mandato cassado pela Justiça em 4.4.2012, em seu lugar assumiu João Virgílio (11.4.2012 – 31.12.2012).

 

 

16ª LEGISLATURA (1.1.2013 a 31.12.2016)

19 vereadores

 

Alexandre Villela Silva, Carlos Roberto Lopes de Alvarenga Peixoto, Diego Fonseca Nascimento, Douglas “Carbonne” Alberto Santos, Jeferson Campos, João Marcos Pereira Vidal, Joaquim Marcelino Joffre Neto, José Adálcio Nunes Coelho, José Antonio de Angelis, Luiz Henrique Couto de Abreu “Neneca”, Luiz Gonzaga Soares “Luizinho da Farmácia”, Maria das Graças Gonçalves Oliveira, Maria Gorete Santos de Toledo, Noilton Silvestre Ramos, Paulo de Tarso Cardoso de Miranda, Pollyana Fátima Gama Santos, Rodrigo Luis Silva “Digão”, Salvador Soares de Melo, Vera Lúcia Santos Saba.



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página